A prática da terapia cognitivo-comportamental baseada em mindfulness e aceitação

Autor(es): Roemer, Lizabeth
Visualizações: 356
Clasificação: (0)

 

11 capítulos

Formato Comprar item avulso Adicionar à Pasta

1. Uma Conceitualização Comportamental de Problemas Clínicos Baseada na Aceitação

PDF

1

Uma Conceitualização Comportamental de

Problemas Clínicos Baseada na Aceitação

Maya, uma estudante universitária, procurou terapia porque estava sentindo uma ansiedade intensa, que dificultava muito a realização dos trabalhos e provas da faculdade. Ela relatou ter medo de não conseguir terminar a faculdade e nunca ser capaz de se sustentar ou de ajudar a sustentar os pais, que estavam envelhecendo. Ela se descreveu como uma pessoa ansiosa, e via sua ansiedade como uma prova de sua “fraqueza”.

Maya contou dos inúmeros métodos e estratégias que experimentara para se sentir menos ansiosa e mais autoconfiante. Embora descrevesse alguns períodos da sua vida durante os quais se sentira melhor, de modo geral ela achava que suas tentativas de controlar a ansiedade tinham falhado. Quando questionada sobre evitação, Maya deu muitos exemplos de situações que evitava, tais como telefonar para os pais porque sabia que eles perguntariam sobre a faculdade. Quando perguntamos sobre sua vida social, ela disse que não tinha tempo para fazer amigos porque precisava dedicar seu tempo aos trabalhos escolares, já que levava muito tempo para terminá-los. Ela também comentou que “se sentia pouco à vontade” quando estava com grupos de pessoas, o que

 

2. Avaliação Clínica de Esferas Relevantes

PDF

2

Avaliação Clínica de Esferas Relevantes

O primeiro passo para se trabalhar com o cliente de uma perspectiva comportamental baseada na aceitação é realizar uma avaliação abrangente da natureza e extensão dos problemas apresentados, status psicológico, atitudes em relação às experiências internas (como emoções e sensações físicas), estratégias comuns de manejo (incluindo evitação experiencial), qualidade de vida e experiências prévias de tratamento. Uma avaliação cuidadosa e sistemática não só

é essencial para uma conceitualização de caso adequada e um plano de tratamento informado, como também ajuda a validar a experiência do cliente e a criar uma aliança terapêutica sólida.

Neste capítulo, focalizamos principalmente as estratégias de avaliação a serem usadas nas sessões iniciais, mas uma avaliação constante durante toda a terapia

(discutida no Capítulo 9) é indispensável, pois fornece informações importantes sobre a possível eficácia da intervenção, incentiva uma rápida resposta a estratégias improdutivas, facilita a mudança ao dar um retorno, motiva tanto o cliente quanto o terapeuta, aumenta a responsabilidade e demonstra a efetividade do tratamento para terceiras pessoas relevantes (Woody,

 

3. Formulação de Caso e de Plano de Tratamento Individualizados

PDF

3

Formulação de Caso e de Plano de Tratamento Individualizados

Conforme discutimos no Capítulo 1, um aspecto básico do tratamento é um entendimento compartilhado pelo cliente e pelo terapeuta da natureza dos desafios que o cliente está enfrentando. A formulação de caso individualizada se vale do modelo comportamental geral baseado na aceitação apresentado anteriormente, mas está ligada

às características específicas das preocupações e experiências do cliente. Essa formulação, portanto, está vinculada à abordagem da intervenção, tanto em termos gerais, às metas e aos métodos de tratamento, quanto especificamente, a cada exercício, prática ou tópico introduzido. Dessa maneira, de uma perspectiva comportamental baseada na aceitação (como nas intervenções de TCC), o tratamento é transparente, com o terapeuta partilhando com o cliente seu entendimento e sua intenção o tempo todo, e colaborativo, com o terapeuta incorporando a perspectiva do cliente à formulação e seleção das intervenções. Essa formulação e o plano de tratamento são individualizados, pois se incorporam informações dos métodos de avaliação descritos no capítulo anterior a um modelo comportamental geral baseado na aceitação, se compartilha essa formulação com o cliente ajustando-a com base em seu feedback, e se adaptam métodos gerais de intervenção de acordo com os elementos

 

4. Preparando o Terreno para a Terapia

PDF

4

Preparando o Terreno para a Terapia

Este capítulo apresenta uma visão geral das informações que o terapeuta e o cliente precisam ter enquanto estão se preparando para se comprometer com o tratamento de uma perspectiva comportamental baseada na aceitação. Apresentamos uma breve revisão dessa abordagem terapêutica, incluindo uma discussão dos objetivos gerais, possíveis modos de terapia, número e duração das sessões, tipos de métodos e estratégias usados no tratamento e a estrutura de uma sessão de terapia típica. Descrevemos a postura que nós (e outros) adotamos ao trabalhar dessa maneira e damos orientações para cultivar essa postura e exemplos de como ela pode ser modelada explicitamente na sessão. Por fim, demonstramos como preparamos o terreno, ao introduzir o cliente no tratamento, apresentando a nossa conceitualização do seu problema, dando-lhe uma visão geral do tratamento, descrevendo abordagens alternativas, definindo papéis e estabelecendo expectativas.

BREVE RESUMO DA

ABORDAGEM DE TRATAMENTO

 

5. Oferecendo ao Cliente um Modelo Comportamental de Funcionamento Humano Baseado na Aceitação

PDF

5

Oferecendo ao Cliente um Modelo

Comportamental de Funcionamento

Humano Baseado na Aceitação

Elementos psicoeducacionais são um padrão nas abordagens cognitivo-comportamentais

à psicoterapia.* Há certa variedade entre as

TCBAs na inclusão formal e ênfase na psicoeducação, mas todas enfatizam uma conceitualização e entendimento compartilhados de um modelo baseado na aceitação. A TDC inclui quatro módulos psicoeducacionais de habilidades em que os elementos-chave do tratamento são introduzidos, descritos, explicados, ilustrados e discutidos num contexto de grupo. A REBM e a TCBM são apresentadas em um formato educacional, embora também enfatizem a primazia da prática e experiência pessoal. Os criadores da TAC (Hayes, Strosahl e Wilson, 1999) alertam contra uma explicação excessiva dos princípios da terapia, salientando que o cliente precisa experienciar os conceitos em vez de compreendê-los racionalmente, para ser guiado por uma aprendizagem baseada em contingências e não por princípios governados por regras, que podem se tornar rígidos e inflexíveis.

 

6. Estratégias Baseadas em Mindfulness e Aceitação

PDF

6

Estratégias Baseadas em

Mindfulness e Aceitação

Cultivar uma percepção de aceitação, sem julgamentos, não reativa e honesta das próprias experiências internas é um elemento central das TCBAs. Embora o cultivo de um relacionamento desse tipo com as reações internas seja um fator comum em uma ampla variedade de psicoterapias (Germer et al., 2005; Martin, 1997), uma ênfase explícita nesse cultivo é uma característica definidora das abordagens comportamentais baseadas na aceitação. Neste capítulo, revisamos como essa postura é compreendida, cultivada, praticada e fortalecida nas

TCBAs.

A NATUREZA DA ACEITAÇÃO

Um modelo conceitual que enfatiza a natureza problemática da reatividade às próprias respostas e do julgamento e evitação dessas respostas sugere que é terapêutico aprender uma maneira nova de responder

às reações internas. Se reatividade e evitação são características de uma resposta prejudicial às experiências internas, então a abertura e a aceitação provavelmente serão mais benéficas. “Aceitação”, neste contexto, significa admitir o que acontece em vez de desejar ou tentar fazer com que as coisas sejam diferentes, mas não significa

 

7. Preparando o Terreno para a Mudança Comportamental

PDF

7

Preparando o Terreno para a Mudança Comportamental

O principal objetivo da TCBA é expandir o repertório comportamental do cliente, para melhorar a qualidade e o significado de sua vida. Os clientes, com frequência, desenvolvem repertórios comportamentais restritos, numa tentativa de limitar sua exposição a situações e atividades que eliciam eventos internos dolorosos e negativamente avaliados. Além disso, já que somos capazes de imaginar futuros eventos potencialmente ameaçadores ou dolorosos, também podemos criar uma maneira defensiva e ineficaz de responder ao que poderia acontecer, o que em geral atrapalha a nossa resposta ao que realmente está acontecendo. A TCBA procura tirar o cliente de um lugar onde a ação é ditada por aquilo que ele deve ou não deve fazer para evitar estresse/ansiedade e levá-lo para um lugar de escolhas e ações valorizadas. Ela incentiva a pessoa a experimentar e praticar repetidamente novas respostas, tais como comportamentos de aproximação e a realização de atividades, conforme elas se desdobram, com mindfulness. Praticar novas respostas abre a possibilidade de escolhas comportamentais e permite à pessoa ser mais flexível e escolher dentre uma variedade de possíveis opções.

 

8. Juntando Tudo: Promovendo Uma Ação Consciente, Valorizada

PDF

8

Juntando Tudo:

Promovendo Uma Ação Consciente,

Valorizada

Nos Capítulos 5 a 7, descrevemos vários métodos para apresentar aos clientes um modelo de funcionamento humano, estratégias de mindfulness e aceitação e o conceito de valorização e mudança de comportamento, todos eles do ponto de vista comportamental baseado na aceitação. O objetivo maior da TCBA é eliciar uma mudança comportamental significativa e duradoura. Neste capítulo, descrevemos como passamos à segunda fase da terapia orientada para a ação, com o propósito de integrar todos os conceitos trabalhados e intensificar a motivação dos nossos clientes e sua disposição para mudar.

Conforme mencionamos anteriormente, acreditamos que a disposição para mudar é influenciada por propriedades reforçadoras e punitivas do comportamento. Colocando bem simplesmente, é mais provável que a pessoa se esforce para mudar seu comportamento quando as recompensas associadas aos novos comportamentos forem mais salientes que as punições. Quando os clientes procuram tratamento, em geral estão claramente focados nas qualidades punitivas de se empenhar em suas vidas. Participar plenamente da vida vai despertar emoções e pensamentos dolorosos que, de início, parecem intoleráveis e prejudiciais. As recompensas associadas a se conectar com os

 

9. Avaliação do Progresso, Prevenção de Recaída e Fim do Tratamento

PDF

9

Avaliação do Progresso, Prevenção de Recaída e Fim do Tratamento

Neste capítulo, fazemos algumas considerações gerais sobre o monitoramento do progresso da terapia, decisões de alterar a conceitualização e o plano de tratamento com base nessa avaliação, prevenção de recaída e término da terapia. Tudo isso varia muito, dependendo dos problemas apresentados pelos clientes e do contexto em que são atendidos (p. ex., sessões limitadas por razões externas), de modo que focalizaremos especialmente as razões de cada decisão, para mostrar aos terapeutas que podem adaptar as sugestões aos contextos específicos em que estão trabalhando.

AVALIAÇÃO CONTÍNUA DO

PROGRESSO

Em nosso trabalho, pedimos ao cliente que preencha uma avaliação semanal muito breve de seus sintomas, de seu relacionamento com os sintomas e de seu funcionamento.

Utilizamos para isso uma folha de avaliação muito simples, desenvolvida para avaliar especificamente as metas do tratamento (ver

Formulário 9.1, Avaliação Semanal, p. 216, para um exemplo de avaliação do TAG).

 

10. Incorporando Outras Intervenções Baseadas em Evidências à Terapia Cognitivo-comportamental Baseada na Aceitação

PDF

10

Incorporando Outras Intervenções

Baseadas em Evidências à

Terapia Cognitivo-comportamental

Baseada na Aceitação

Na introdução deste livro, apresentamos uma visão geral de estudos que apoiam a integração da aceitação e de mindfulness a métodos clínicos cognitivos e comportamentais previamente estabelecidos para o tratamento de transtornos de ansiedade, depressão, abuso de substâncias, transtornos da alimentação, TBP e psicoses. Embora as TCBAs se revelem promissoras, ainda estamos acumulando dados sobre a eficácia e efetividade dessas abordagens e estudos para determinar os mecanismos de mudança.

As pesquisas sobre formas tradicionais de TCC demonstram sua utilidade para diversos problemas clínicos, incluindo transtornos do humor, de ansiedade, da personalidade, da alimentação e por uso de substâncias. Para muitos transtornos, a TCC tem sido mais efetiva que outras abordagens.

Apesar desses achados promissores, os benefícios comprovados pelas pesquisas ainda não foram introduzidos como o esperado no uso clínico. Estudos de pesquisas sobre os métodos da TCC frequentemente são criticados em vários aspectos por terapeutas experientes. Embora apresentem informações sobre uma redução média significativa nos sintomas dos sujeitos comparando-se pré e pós-tratamento, eles nem sempre consideram os clientes que recusam a randomização, os que são excluídos com base na gravidade

 

11. Considerações Culturais na Terapia Cognitivo--comportamental Baseada na Aceitação

PDF

11

Considerações Culturais na Terapia Cognitivo-comportamental Baseada na Aceitação

COM JONATHAN

Neste livro, apresentamos uma visão geral dos métodos clínicos que utilizamos ao trabalhar de uma perspectiva de TCBA. Como salientamos, uma cuidadosa e abrangente avaliação e conceitualização de caso é necessária para informar o desenvolvimento de um plano de tratamento flexível e individualizado para cada cliente. A identificação cultural é um elemento crítico a considerar nesse processo. Enquanto temos feito esforços cuidadosos para destacar exemplos das maneiras pelas quais a manutenção de uma postura cuturalmente responsiva pode melhorar o tratamento, decidimos dedicar um capítulo específico para abordar questões relacionadas à competência cultural. O objetivo deste capítulo é destacar algumas das maneiras pelas quais as abordagens comportamentais baseadas na aceitação podem ser particularmente aplicáveis a pessoas de diversas origens e oferecer algumas sugestões práticas de como as TCBAs podem ser adaptadas e utilizadas com esses clientes de modo

 

Detalhes do Produto

Livro Impresso
eBook
Capítulos

Formato
PDF
Criptografado
Habilitada
SKU
BP00000042317
ISBN
9788536323640
Tamanho do arquivo
1,2 MB
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
Formato
PDF
Criptografado
Habilitada
Impressão
Desabilitada
Cópia
Desabilitada
Vocalização de texto
Não
SKU
Em metadados
ISBN
Em metadados
Tamanho do arquivo
Em metadados